Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Roma parte 4


4º dia em Roma (19/04/2013) - Circo Máximo (em latim Circus Maximusitaliano Circo Massimo) foi uma arena antiga e local de entretenimento na antiga Roma. Situada no vale entre a Colina Palatina e a Colina Aventina, este local foi inicialmente utilizado para jogos e entretenimento pelos reis etruscos de Roma. Certamente, os primeiros jogos romanos (ludi romani) eram desenrolados neste local por Tarquínio Prisco, o primeiro governante etrusco da cidade. Mais tarde, no século II a.C., o Circus seria palco para jogos, festivais e corridas de bigas, uma clara influência dos gregos. Numa tentativa de ir ao encontro das exigências dos cidadãos de Roma, Júlio César expandiu o Circo por volta de 50 a.C., aumentado a pista para, proximadamente, 600 metros em comprimento, 225 metros em envergadura, permitindo acomodar cerca de 250.000 espectadores 1 . Mais tarde, o imperador Tito construiu o arco que levou seu nome na extremidade, no Fórum Romano, enquanto o imperador Domiciano ligou o seu novopalácio, no monte Palatino, ao Circo, para poder assistir às corridas de suas varandas. O imperador Trajano mais tarde adicionou outros cinco mil lugares e expandir a zona imperial, numa tentativa de obter maior visibilidade durante os jogos. O Circo chegou a ter sua capacidade ampliada para 385.000 lugares, no total. Hoje em dia restam em pé algumas poucas ruínas da sua estrutura, e a área descampada que era ocupada por sua extensão é utilizada pelos romanos como uma área de lazer ao ar livre.


 Em português, Praça Boca da Verdade, na histórica zona do Fórum Boário, é visitada, sobretudo, pela famosa Boca da Verdade, uma curiosa tampa de esgoto do tempo romano, que representa uma cara com a boca aberta; na Idade Média, os maridos levavam as suas mulheres até à Boca da Verdade, obrigando-as a meterem a mão dentro da "boca" da figura, dizia-se que se a mulher tivesse sido infiel, que a boca encerraria com a mão no seu interior, daí o nome de Boca da Verdade.


ilha Tiberina é uma ilha em forma de barca que se formou no seio do rio Tibre, na zona em que o rio atravessa Roma, perto do Capitólio. Com cerca de 270x67 m (lados mais largos), a ilha é famosa devido ao Templo de Esculápio, o deus grego da Medicina. Existe uma lenda que, numa das suas versões, conta que depois da caída de Tarquínio, o Soberbo, o povo romano atirou o seu corpo no Tibre, no ponto onde depois se formou a ilha; sobre o corpo depositado no fundo, acumular-se-iam seixos e detritos que, progressivamente, permitiram a formação gradual desta ilha. Devido às suas origens obscuras, a ilha Tiberina era considerada pelos Romanos como um posto de mau presságio tanto que, previamente à construção do Templo, os habitantes evitavam aproximar-se da ilha, e só os piores criminosos eram condenados a passar aí o resto da sua vida.



 Gelato-hummmmmm



Os Museus Capitolinos são um conjunto de palácios romanos que abrigam uma vasta e importantíssima coleção de obras de arte. Localizam-se, salvo um prédio anexo, no topo da colina do Capitólio, em torno da praça redesenhada por Michelangelo em 1536, e reconstruída ao longo de 400 anos.





Panteão, situado em RomaItália, também conhecido como Panteão de Agripa, é o único edifício construído na época greco-romana que, actualmente, se encontra em perfeito estado de conservação. Desde que foi construído que se manteve em uso: primeiro como templo dedicado a todos os deuses do panteão romano (daí o seu nome) e, desde o século VII, como templo cristão. É famoso pela sua cúpula. O Panteão original foi construído em 27 a.C., durante a República Romana, durante o terceiro consulado de Marco Vipsânio Agripa. Efectivamente, o seu nome está inscrito sobre o pórtico do edifício. Lê-se aí: M.AGRIPPA.L.F.COS.TERTIUM.FECIT, o que significa: "Construído por Marco Agripa, filho de Lúcio, pela terceira vez cônsul". De facto, o Panteão de Agripa foi destruído por um incêndio em 80 d.C., sendo totalmente reconstruído em 125, durante o reinado do imperador Adriano, como se pode comprovar pelas datas impressas nos tijolos que fazem parte da sua estrutura. A inscrição original, referindo-se à sua fundação por Agripa foi, então, inserida na fachada da nova construção de acordo com uma prática habitual nos projectos de reconstrução devidos a Adriano, por toda a Roma.




0 comentários:

By Iâni Naíra